Artigos

Publicado em 07 de setembro de 2022 Atualizado em 07 de setembro de 2022

A indeterminação como vector de mudança [Tese]

Critérios para a indeterminação na arquitectura

O edifício "De Rotterdam " (o Roterdão) que ilustra o artigo é obra do arquitecto holandês, urbanista e teórico da arquitectura Rem Koolhaas.

Localizado na cidade do mesmo nome e construído em 2013, o edifício foi concebido para ser visto em movimento a partir do Novo Mosa, ou da estrada. O ponto de vista móvel e mutável deforma o edifício, remodelando-o: à medida que avançamos, aos nossos olhos, as torres separam-se e juntam-se.

Monumentos: sociedades eternas

Historicamente, os monumentos têm representado marcos históricos e a formação dos ideais humanos. Elas representam as nossas aspirações, a forma como organizamos as nossas sociedades. Esperamos que eles - as nossas sociedades e os nossos monumentos - sejam imutáveis, duradouros, presentes por toda a eternidade.

Desde as teorias deAlberti, durante cinco séculos, até ao início do século XX, as regras arquitectónicas baseavam-se na necessidade de uma beleza composta e harmoniosa. Ou seja, numa composição arquitectónica, nada poderia ser acrescentado ou subtraído.

Mutação, adaptação, mesmo diálogo, não foram possíveis. Isto permaneceu na mente dos cidadãos durante algum tempo. Em 1984, por exemplo, um ano antes do início dos trabalhos, a pirâmide desenhada por I. M. Pei no Louvre estava ainda a causar um escândalo.

O "plano gratuito" de Le Corbusier

No início do século XX, a composição tinha sido desafiada pela "liberdade absoluta de plano" de Le Corbusier (o "plano livre").

No entanto, "a procura de flexibilidade oferecida pelo plano livre apenas gerou uma arquitectura fixa, incapaz de responder às mutações perpétuas da sociedade, à sua rápida transformação".

Na década de 1960, o grupo arquitectónico Equipa X (Equipa 10) escreveu isso:

"Qualquer resposta arquitectónica [deve] estar doravante situada num espaço/tempo em constante mudança e evolução e já não na eternidade imóvel da obra de arte".

É uma questão de conceber e antecipar a mudança de utilização. De facto, o mundo actual está a mudar, de tal forma que as noções de fluidez e de teorias líquidas continuam a avançar.

Indeterminação na arquitectura

Voltando à década de 1960, surgiram teorias de indeterminação na arquitectura. Contudo, as concretizações (projectos construídos) foram raras e as realizações (projectos não-construídos) parciais.

Esta indeterminação na arquitectura é o tema da tese de Xavier Van Rooyen.

Prosseguiu através de uma modalidade de arquitectura comparativa. Neste trabalho, ele identificou princípios para a formação da indeterminação na arquitectura.

A sua investigação articula-se em três eixos:

  1. A teorização da indeterminação na década de 1960.
  2. A contribuição combinatória de Rem Koolhaas para esta teoria. Ele combinou a especificidade arquitectónica e a indeterminação programática.
  3. O futuro da indeterminação na arquitectura desde os anos 90.

Aberto e estruturado

A tese cita Peter Cook, que contrasta a definição do Oxford Dictionary com a utilização doArchigram:

"Definição do Dicionário de Oxford":

Indeterminado: "Não fixo em extensão ou carácter, vago, deixado em dúvida".

Utilização de arcigramas: De avaliação variável. Não há uma única resposta. Infinitamente aberto".

Como articular de facto a noção de indeterminado, que é o aberto, e a arquitectura, que é a estruturada?

Na arquitectura, a indeterminação aplica-se em três níveis:

  1. O nível programático. Isto é, ao nível do que enquadra o espaço: o perímetro. É uma questão de antecipar as mudanças funcionais interiores.
  2. O nível volumétrico. Isto torna possível o aumento do volume inicial, respeitando o sistema.
  3. O nível estético. Trata-se da apropriação do edifício pelos utilizadores e da evolução como resultado das suas intervenções.

A combinação do específico e do indeterminado

Rem Koolhaas trabalha à escala urbana e à escala arquitectónica, na sua polaridade específica / indeterminada.

Na escala da grelha, o urbano está sujeito aos caprichos de factores externos, que não podem ser controlados.

Aqui, é "o vazio [que] assegura a estabilidade do todo".

À escala arquitectónica, ou seja, ao nível do envelope exterior específico, intervém no interior com programas genéricos, indeterminados e neutros.

Para o investigador, os vectores dos indeterminados são os três conceitos:

  1. "Le plan libre" de Le Corbusier.
  2. "O corte livre": a inversão do plano livre por Rem Koolhaas.
  3. O "quarto livre" multifuncional.

Quando o vazio se estabiliza

A partir do plano livre e do corte livre, Koolhaas desenvolveu fragmentos, ilhas:

"Cada fragmento volumétrico incorpora a ideia de mudança. [...] A agregação [... ] tem lugar no plano vertical ou horizontal".

"A ilha programática [... ] desenvolve-se livremente entre a diversidade.

Os fragmentos são estabilizados pelo vazio: as ruas, os espaços intersticiais.

Na conclusão, para os arquitectos, o autor retoma um diagrama com todas as estruturas de indeterminação, expressas em programas realizados e não realizados (fig. 133). Os conceitos de indeterminação estão também listados numa tabela cronológica que enumera os processos e níveis de indeterminação.

Arquitectos e não arquitectos podem também reflectir sobre esta noção de vazio, que tece e torna o dinamismo da mudança habitável.

Ilustração: podk de Pixabay.

Leia mais:

Xavier Van Rooyen, Arquitectura indéterminée. Arquitectura e teorias da indeterminação desde os anos 60. Art de bâtir et urbanisme, Faculdade de Arquitectura, Universidade de Liège, 2021.

Tese disponível em: https: //orbi.uliege.be/handle/2268/256683


Veja mais artigos deste autor

Dossiês

  • Fiel ao programa

Notícias de Thot Cursus RSS

Acesso a serviços exclusivos de graça

Assine e receba boletins informativos sobre:

  • Os cursos
  • Os recursos de aprendizagem
  • O dossiê desta semana
  • Os eventos
  • as tecnologias

Além disso, indexe seus recursos favoritos em suas próprias pastas e recupere seu histórico de consultas.

Assine o boletim informativo

Adicionar às minhas listas de reprodução


Criando uma lista de reprodução

Receba nossas novidades por e-mail

Mantenha-se informado sobre o aprendizado digital em todas as suas formas, todos os dias. Idéias e recursos interessantes. Aproveite, é grátis!